quarta-feira, 23 de abril de 2008

Caso Janaína Leite 4

Esclarecimentos de Idelber Avelar

Estou feliz pelas explicações de Idelber, reconhecendo erros em suas críticas precipitadas ao lado de manifestações contra Luiz Nassif e seu dossiê Veja. Desde quando manifestei estranheza em sua atitude, post que motivou aqui algumas reações, disse que seu temperamento era o de ponderação. Agora, o bom senso prevaleceu, tal como apostava.

O novo capítulo de Nassif

Luiz Nassif aprofunda as denúncias das relações venais entre a imprensa e os interesses de Daniel Dantas. Repete com mais detalhes questões anteriores e acrescenta novas. E ainda promete mais munição para breve. Li rapidamente, mas já vi que há um bom assunto para a próxima semana.

De pronto, algo chamou minha atenção: a reação de Janaína Leite em seu blog. Seu nome é envolvido diretamente em várias matérias parciais de interesse do banco Opportunity, trechos são citados, e sua defesa é dizer que “eu confio na Justiça”. Seria uma orientação da revista Veja, que responderá apenas na justiça, pensei? Onde talvez em breve esteja trabalhando? Afinal, hoje Reinaldo Azevedo elogia seu nome e seu blog. Diz ele que Janaína é o tipo de pessoa que gosta: “mata a cobra e mostra a cobra mortinha da silva”. Tentei entender a filosofia, mas confesso limitações frente à realidade. Uma frase de Janaína derrubou qualquer nexo do blogueiro da revista. Ao afirmar que a polêmica sobre seu nome será superada em breve, acrescenta que “daqui a pouco o espetáculo terá de ser um texto bem escrito, uma análise interessante, uma provocação bem colocada”. Vamos pensar numa coisa: a jornalista trabalhou em jornal diário, onde textos são feitos rapidamente, no mesmo dia, na pressão do deadline, certo? Mas, sobre o tanto que recai sobre seu trabalho, seu nome, só há promessa de texto para o futuro. Bastaria um único, nem necessariamente bem escrito, ou com provocação bem colocada, mas que contivesse sua versão. Que jornalistas são esses, como os da revista Veja, que só falam por advogados?

8 comentários:

Ricardo Zanoni disse...

O que me espanta é o silêncio da maioria dos jornalistas que têm blogs em não apoiar Nassif. Afinal o cara enfrenta uma cruzada desse porte, colidindo com um dos maiores grupos midiáticos do Brasil, sozinho, com uma coragem que me deixa estupefato, e a maioria dos colegas, salvos honrosas exceções como igualmente este corajoso blog do Jurandir, se quedam silentes. Inclusive aqueles que se dizem observadores da imprensa.

De outro lado, os blogueiros de aluguel não por acaso, a escumalha do jornalismo marrom, lixo do lixo, que por questão de profilaxia passo ao largo deles, sabendo das suas diatribes indiretamente via blogs potáveis, são constantes em cumprir as tarefas indicadas por seus patrões ao tentarem denegir o Nassif. Tristes e falsos "jornalistas"

Dener disse...

Ora, é simples. Escrever um texto sobre um FATO, é mais fácil. Escrever um texto fantasisoso é mais complicado, requer usar o lado lúdico, a imaginação. Tem que construir situações que se encaixem num primeiro momento,ter riqueza de detalhes para que a mentira não caia muito rápido por terra. Mas sempre cai!

Anônimo disse...

O Mainardi também fez um podcast hoje onde "recomenda" o blog da Janaína Leite.

Agora entendi! A VEJA não tem coragem de responder e pega uma menina para se fingir de "coitadinha" e atacar o Nassif.

Vão mal as coisas para o lado da VEJA, Mainardi, Azevedo e Janaína Leite. Além de tudo, os fatos depõe contra eles.

Anônimo disse...

O Mainardi também fez um podcast hoje onde "recomenda" o blog da Janaína Leite.

Agora entendi! A VEJA não tem coragem de responder e pega uma menina para se fingir de "coitadinha" e atacar o Nassif.

Vão mal as coisas para o lado da VEJA, Mainardi, Azevedo e Janaína Leite. Além de tudo, os fatos depõe contra eles.

Walmir disse...

Mano blogueiro,
seu comentário é a provocação bem colocada.
paz e bom humor
Walmir
http://walmir.carvalho.zip.net

Anônimo disse...

Cid arressurgindo...

Juranda, o prôfe quaaaase pegou o prumo de volta, quase. Como dizemos no Ceará: "faltô uma besterinha de nada pro cabra si aprumá só todo, tá inteneno?"

Certo ele de fechar os comentários do artigo mea culpa.
Posso imaginar a reação dos TRAÍDOS, cupinchas de janaínas, gravatas e reis nossacaixa2, vociferando chavões dasluzianos, típicos de vejeiros filhotinhos da dita._ _ __.
Imagino também como seriam os apartes dos que o criticaram. Alguns teceriam sinceros elogios à repentina humildade do prôfe, outros mais "malvados", não perderiam a oportunidade de ironizar ou de dar nos dedos dele: "idelber, que mudança, hein? Diga aí como foi o babado...brigastes com teus ex-novos amigos? eu te avisei! e o gravata, como fica agora?"

Ia ser chibata de todo lado. O prôfe pra burro não serve, né não?

Anônimo disse...

Muito engraçado e inteligente o comentário do anônimo, foi por aí mesmo.

Anônimo disse...

Acho que, em breve, essa Janaína Leite será desmascarada.