quinta-feira, 1 de maio de 2008

Cotas: agora tenho uma posição

Até agora eu achava a discussão sobre a política de cotas algo polêmico, e não tinha uma posição definida. Hoje, quando li o manifesto de 113 personalidades do meio acadêmico, artistas e representantes do movimento social, que foi entregue no STF, acusando o sistema de cotas de estimular o ódio racial, tomei posição. Com o alarde de nossa imprensa e com o nome de Ruth Cardoso, Caetano Veloso, Demétrio Magnoli e Reinaldo Azevedo encabeçando o documento, está claro que estou do outro lado. Fiquei pelas cotas desde garotinho!

8 comentários:

Briguilino disse...

Cotas tendo como base a posição socio-economica é necessário. Por cor é um imbecilidade sem limites. Isso é que é preconceito.

Anônimo disse...

Quantos não-brancos assinaram?

Neide

Anônimo disse...

Ué, não são esses mesmos Reinaldos Azevedo's que vivem afirmando que não existe racismo no Brasil, e reclamam que a política de cotas estimula o ódio racial? Oras, para _estimular_ algo, é necessário que este algo já exista, não é mesmo?

Jurandir Paulo disse...

Pois é. Minha visão ficou clarificada ao ver tantos branquinhos, mauricinhos notórios, indo ao máximo poder judiciário branconildo para fazer valer seus desejos, sendo eles os defensores das mais arraigadas idéias contrárias à abolição da escravatura, já que odeiam o socialismo, ou qualquer idéia progressista de libertação do proletariado dos grilhões do decadente sistema capitalista. Não acho mera coincidência. Quais os desejos? Falar o óbvio, negar qualquer iniciativa de corrigir a história? Vejo o branquinho Demétrio Magnoli, inimigo da revolução russa, crítico ácido de qualquer iniciativa de abolição desta escravatura tentada até hoje. Ele seria bem visto pelas organizações globo se fosse mais moreninho? Tenho lá minhas dúvidas. Mas penso que independe disto. O fato é que a política de cotas existe para tentar um mínimo de ajuda a uma dívida imensa. Por melhor que seja, algo ainda fica faltando. E os representantes da Casa Grande chegam para tentar aula para a senzala. Vão se catar!

Anônimo disse...

Eu já era a favor das cotas. Agora vou radicalizar na defesa pelas cotas.

A conversa fiada sócio-econômica serve apenas para protelar, protelar e protelar. As falhas na política de cotas são irrisórias se comparadas com o número expressivo de cidadãos que agora acessam o ensino universitário.

(jose justino)

Daniel disse...

Hahahah!!!

Essa foi boa!

Mas realmente, quando se ve os "intelectuais" que assinaram a carta, entao meu amigo, sabe-se diretamente a posicao que é errada!

Agora, faco a mesma pergunta que a Neide em cima fez:

Quantos nao-brancos assinaram isso?

Mário Salerno disse...

Estive comentando o assunto e uma amiga minha observou bem... Essas pessoas, que se definem como anti-racistas, jamais tomam posição quanto ao racismo propriamente dito. Haja visto o caso do professor baiano que fez declarações de um racismo inegável ao comentar o baixo desempenho dos alunos do curso de medicina da UFBA. Ele não mereceu desses "anti-racistas" sequer uma reprimenda.

Mauro Sérgio disse...

Bicho, tomo a liberdade de recomendar o blog onde eu exponho uma longa argumentação sobre o assunto, o Blog das Cotas.

http://cotasparanegros.blogspot.com/

Concordo porém que, só em ver a lista dos tais "cidadãos anti-racistas", já dá pra formar opinião.