segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Sobre muros

A guerra fria acabou? Contraditoriamente, talvez a festa que a grande mídia internacional fará hoje para comemorar seu fim, com a queda do Muro de Berlim, em 9 de novembro de 1983, prove exatamente o contrário. Velhos clichês estarão de volta, embalados em belas imagens. Lembrarão que os maus comunas do lado de lá impediam seu povo de usufruir as maravilhas do mundo capitalista. Mas há vozes dissonantes, que não serão convidadas para os canapés, provando que o Fla x Flu resiste ao tempo. O historiador americano William Blum é uma delas, em artigo traduzido recentemente no Resistir cita um jornal vermelhíssimo de 1963 que aponta uma justa motivação:

"Berlim Oeste ressentiu-se economicamente do muro com a perda de cerca de 60 mil trabalhadores especializados que saíam diariamente das suas casas em Berlim Leste para os seus locais de trabalho em Berlim Oeste"


O jornal é um tal de New York Times, que assim relatou o incômodo de um estado que investia pesadamente em educação e via surgir uma crise com a perda de seu investimento.

Mas claro, há sempre o “mas”. O muro também servia para impedir que os comunistas fossem ao outro lado comer criancinhas. Temos que lembrar.

Particularmente, continuo achando muita hipocrisia comemorar a queda de um muro quando o mundo, dito “livre”, construiu tantas muralhas nesses últimos anos:


Muro construído pelo Egito na fronteira com Gaza.


Muro construído pelos EUA na fronteira com o México. Mais ótimas fotos aqui.


Muro construído pela prefeitura do Rio de Janeiro na favela Dona Marta.

9 comentários:

marcosomag disse...

Após serem apresentados ao maravilhoso mundo capitalista e suas mazelas (desemprego, fome, insegurança quanto ao dia de hoje), os alemães do leste (e do oeste) votaram em massa no Die Linke ("A Esquerda") nas recentes eleições. Evidentemente, isso não vai passar no "Jornal da Globo" e não será comentado pelo William Waack.

Mirian disse...

sempre antenado!

Jurandir Paulo disse...

marcosomag, mandou super bem. Aliás, pesquisa hoje da BBC mostra que no mundo a insatisfação com o capitalismo é geral:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=119014&id_secao=9

Na Alemanha Oriental é bem conhecida a insatisfação. Na Deutsche Welle um artigo que mostra como as mulheres perderam:

http://www.dw-world.de/dw/article/0,,4753023,00.html


Míriam, valeu a força. Só para lembrar como piada, eu chamei minha mulher outra dia de “ser antenado”. Bastou para ela, sacana, retrucar: “Eu bem que desconfiava que você andava me traindo...”

infinitoaldoluiz disse...

Boas fotos, mas os piores muros erigidos pela New World Order escravagista são os sem fim que não conseguimos ver com os antolhos midiáticos com os quais nos amarram às galés da escassez planejada de tudo por seus banqueiros. A Colombia anexada é o mais novo muro do mundo "maravilhoso" que querem nos impor.
Sinto muito, sou grato.

Angelo Frizzo disse...

Só faltam cair:
+O muro entre as Coreias
Construido pelos USA e RSSS
+O muro entre israel/Palestina
Construido por USA/Israel
+O muro entre Mexico /usa
Construido por usa
+Os muros de Guantânamo e dezenas
de outros CAMPOS DE CONCENTRAÇÃO
espalhados pelo Iraque, Afeganistão, PalestinaUSA( com milhares de Brasileiros), etc.etc.

lola aronovich disse...

Jurandir, eu gostaria de viver num mundo sem muro nenhum. Mas vc tem toda a razão: é típico que a direita fale apenas de um muro e esqueça todos os outros. Só o de Berlim foi o muro da vergonha?

lola aronovich disse...

Ah, lembrei: Será que muro só é ruim quando é pra impedir loirinhos de olhos azuis de ir e vir? Porque pra impedir mexicano e negro, parece que muro é um item de necessidade básica, né?

Jbmartins-Alvinegro disse...

http://colunistas.ig.com.br/luis…usto-do-apagao/
Apagão de energia elétrica custou ao país R$ 45 bilhões, conclui TCU
isto a midia não comenta foi o Povo que pagou.

Cássio V. Coutinho disse...

Este post me faz lembrar que a história é um conjunto de relatos contados pelos vencedores dos conflitos. Anunciaram que vivemos num mundo livre desde 1989 (que por sinal foi o ano em que eu nasci), até tocaram Wind Of Change (aquela música do Scorpions) para esconder -- ou pelo menos tentar -- a hipocrisia de quem esquece de propósito dos outros muros que também tornam -- ou deveriam tornar -- o mundo vermelho de vergonha.

PS: quem quiser pode entrar no meu blog. procure Cassius Alwaysland na lista do lado direito. Um abraço e até mais ver.