terça-feira, 13 de outubro de 2009

O que se compra com algumas laranjas?


Ao longo dos últimos anos, nossa mídia fabricou um João Pedro Stedile como um bárbaro, um vândalo, um retrógrado economista. Sua entrevista a Folha não me parece conter nada de anacrônico. Ela é serena, embora firme e contundente. Gostei de sua resposta clara sobre as laranjas da Cutrale:

FOLHA - Ao destruir alimentos, o MST não teme perder o apoio das camadas mais pobres da população, como das 12 milhões de famílias que dependem do Bolsa Família para comprar sua própria comida?
STEDILE - Cerca de 98% da produção de suco no pais é exportada. Esse suco não vai para a mesa dos pobres, com ou sem Bolsa Família. Já o nosso modelo para a agricultura brasileira quer assegurar produção de alimentos, a geração de emprego e renda no meio rural. Queremos produzir comida e, inclusive, suco de laranja para chegar à mesa de todo o povo brasileiro. Não para o mercado externo. Mesmo assim, a área de exploração da laranja [no país] diminuiu em 400 mil hectares nesses dez anos, pela exploração que a Cutrale impõe aos agricultores.


Fica claro, se é que ainda existem dúvidas, que a produção da Cutrale é formada apenas por commodities. Aquilo não vai para o cardápio do povo brasileiro nem quando transformado em suco. Sem entrar no assunto da ilegalidade das terras, a produção da empresa passa longe dos interesses reais do povo brasileiro. Mas o repórter insiste em fazer uma intriga, como se aquelas laranjas fossem alimento. Não são.

Agora, gostaria de ver nossa mídia fazendo contas, mostrando gráficos com os valores do prejuízo da Cutrale com o quanto ela gasta e gastou especificamente em doações nas eleições parlamentares de 2006. Peguem os dados oficiais do TSE, abaixo, em reais, e transformem em dúzias de laranjas. Ou pés de laranja. Vejam quantas laranjas uma empresa gasta para agradar a República. Ou, se preferirem, por quantas frutinhas um parlamentar se vende. Clique para ampliar:

11 comentários:

Yvy disse...

Excelente, Jurandir ! Bom mesmo !


Abrs!

Letícia disse...

Daí, ir atrás de "terra pra quem tem fome" é coisa de bandido...
Na verdade, na verdade, sem deixar de considerar o governo Lula como o melhor dos últimos tempos (quiçá o de todos!), ainda há muito o que ser feito quanto à distribuição de renda neste país, especialmente quando se fala em distribuição de terra, objetivo maior do MST.
Queria estar viva quando isso começar a de fato acontecer...

Mirian disse...

Baaaaaaarbaridade!!!! Tem nomes e números que a gente não espera ver. Excelente post.

Mirian disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ilariamaral disse...

Laranjas pra pagar laranjas! Impressionante o que se descobre quando se inverte as afirmações calhordas do PIG!

Anônimo disse...

Incrivel parabens, isto é furo, em qualquer civilização quando não dominada por interesses.

Anônimo disse...

parabéns, o verdadeiro jornalismo sendo realizado pelo seu blog.

GilsonSampaio disse...

Modus Operandis do agrobiz e o MST
http://gilsonsampaio.blogspot.com
Notícia velha, prática velha e repetitiva.
E o MST que é o culpado pelo estado de penúria do agrobiz.
Se a improvável CPI do MST for mesmo constituída, bem que poderia dar uma olhadinha despistada pro negócio do agrobiz. Podia aproveitar para dar uma olhadinha na compra de uma fazendinha de 1200 hectares ao preço de R$ 8,00/hectare pela senadora e presidente da Confederação Nacional da Agricultura Kátia miss desmatamento Abreu.
A proposta tem muito sentido.
Os ruralistas acusam o governo de financiar o MST com R$ 155 mi. Façamos uma conta básica.
155.000.000 divido por 8, resulta na quantidade de hectares que podem ser comprados. Complexos cálculos realizados pelo meu windows revelam que podem ser comprados 19.375.000 hectares. E, consultando a senadora Kátia miss desmatamento Abreu aonde conseguir estoques de terra ao mesmo preço que ela comprou a fazendinha dela, com uns poucos milhões a mais o problema dos sem-terra estaria resolvido.

Manuel L. Parreão Filho disse...

Defender Lula com seu Bolsa Família e MST é típico de alienado, idiota e preguiçoso. O povo está precisando é de escolas e empregos para se sentir gente, sentir útil e, conseqüentemente, não se iludir com falsos discursos. Com estas oportunidades as pessoas não irão mais precisar de esmolas, de migalhas. Vão trabalhar bando de indolentes, pobres de espírito e aproveitadores da miséria alheia!...

Jurandir Paulo disse...

Manuel, alienado, idiota e preguiçoso é não perceber que até a direita que quer voltar ao poder não consegue fazer discurso contra o bolsa-família, uma projeto de cunho liberal, que compensa as distorções do capitalismo. Há claros índices que demonstram o quanto o projeto está obrigando crianças a irem a escola, determinação para se ganhar a bolsa. Histeria contra o projeto e o MST não é da direita clássica, mas dos fascistas.

Manuel L. Parreão Filho disse...

Realmente você expressou a realidade: o programa Bolsa Família está “obrigando” as crianças irem à escola. Sabe por quê? Elas vão por causa da fome; vão exclusivamente para comerem. No entanto, o objetivo que é aprender, não está sendo cumprido. Não sabe por quê? As nossas escolas são de péssima qualidade, professores com salários de miséria, a maioria deles despreparados – alem de serem adeptos às teorias marxistas e pregarem ideologia em substituição à preocupação com o saber - , assim como as estruturas físicas dos colégios decadentes.

Esse programa escraviza as pessoas que, infelizmente, já carregam o gen da preguiça. Hoje, a maioria das famílias que são cadastradas nestes programas eleitoreiros não quer mais trabalhar. Caso você queira ver bem de perto tudo isto que relatei, é só vir aqui no Maranhão, ver a realidade do nosso estado, bem como sentir na pele a política aqui implantada pelo maior aliado – José Sarney - deste presidente imbecil que está fazendo tudo justamente ao contrário do que pregou em seus mais de 20 anos como sindicalista e esquerdista.

Defender um idiota da espécie deste presidente que, quando abre a boca só fala asneira, é apostar na imbecilidade das pessoas.

Em tempo: Sabe quem são as pessoas de boa fé que fazem parte do MST ? São aquelas pobres e humildes pessoas sem conhecimento, sem formação política, etc, que são cooptadas por esses chefes desta quadrilha que, com o financiamento do governo, a cada dia se torna mais forte e perigosa.