terça-feira, 30 de junho de 2009

Nossa direita e suas vergonhas

A Veja tem um blogueiro pago para brindar seu “seleto” público com este tipo de opinião:

O cerco está se fechando sobre o governo provisório de Honduras. Parece difícil que resista à pressão. Se Barack Obama não exercesse a presidência dos EUA com uma espécie de vergonha da história gloriosa do seu país, teria a coragem de não incentivar o circo.

Reinado Azevedo, hoje

Imagino a que tipo de história gloriosa o blogueiro se refere, saudoso. São muitas, destaco três, entre extensa lista:


Momento glorioso 1) Guerra do Vietnã, onde as forças armadas americanas viajaram léguas para defender, segundo elas, a “democracia”. Usaram, para convencer a população civil, produtos como o napalm e o agente laranja, deixando um rastro de milhões de vítimas inocentes.


Momento glorioso 2) Em 2003, mais uma vez os americanos viajaram léguas para impor sua “democracia”, agora ao povo iraquiano. Diziam que procuravam armas químicas, mas todos sabiam que estavam de olho no petróleo do país.


Momento glorioso 3) Depois da guerra hispano-americana, os EUA foram tomar posse de seu butim nas Filipinas. Em 1906, o general Leonard Wood comanda o que ficou conhecido como o Massacre Moro, quando pelo menos nove centenas de filipinos, incluindo mulheres e crianças, foram encurralados numa cratera vulcânica na ilha de Jolo e metralhados e bombardeados durante dias. Tal corajosa façanha mereceu cumprimetos do presidente Theodore Roosevelt: “Congratulo a si e aos oficiais e homens sob o seu comando pelo brilhante feito de armas que o senhor e eles sustentaram tão bem a honra da bandeira americana”.

5 comentários:

Rafael Galvão disse...

Uma informaçãozinha simples que estão deixando passar: os EUA estão entre os principais responsáveis pela fragilidade política de Honduras. Eles invadiram o país, para começar, manipularam sua política durante década, financiando o que havia de pior, e quase fizeram com Honduras entrasse em guerra com a Guatemala. A razão de tudo isso: bananas, cultivadas pela United Fruit. Honduras, aliás, era uma das Banana Republics.

Reinaldo Azevedo é um idiota.

Jurandir Paulo disse...

Perfeito, Rafael. E quero ver se vão continuar sustentando a mesma conversa nos próximos dias. É sempre bom lembrar que algumas das maiores tretas da política externa americana foi durante governos democratas.

Itárcio disse...

Parabéns pela reportagem, esses canalhas têm de ser desmascarados!

Anônimo disse...

uma barbaridade.

uma pergunta:

quem é esse desimportante senhor citado ai em cima? um tal de reinaldo azevedo? que apito que ele toca?

cappacete disse...

Para mais barbáries patrocinadas pelos ianques ver o documentário Sob a Névoa da Guerra, em matéria de barbárie eles são insuperáveis...