sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Xenofobia e ceticismos

Volto de um encontro com amigos, velhos e novos conhecidos, reunidos no álibi de aniversário de um dos presentes. Muitos e variados assuntos pautados em espaçosa e farta mesa de bar, aqui na Lapa. Eternas rivalidades futebolísticas, escárnio com a política das elites, fuxicos internos, tudo foi assunto. Mas, para minha surpresa, um tema que imaginava consenso teve forte polêmica: o ataque hediondo à brasileira Paula Oliveira, na Suíça, praticado por um grupo de neonazistas. Alguns alegaram ceticismo, motivados pela forma dos desenhos, incompatíveis com um ataque rápido. Outro, médico, lembrou de distúrbios na gravidez. E ainda lembraram das várias “barrigas” do Noblat, autor da notícia. Bom, quanto ao último argumento, impossível não concordar, mas do resto fui veemente em creditar o fato ao crescimento do fascismo no primeiro mundo, tendendo a ficar ainda mais acirrado com a crise do capitalismo. Voltei para casa. Aqui e agora, para ainda mais surpresa, vejo no Luis Nassif um post com o mesmo ceticismo assinado por membro de sua comunidade, com igual polêmica reproduzida nos comentários.

Já viajei pelo mundo, já vi de perto a cara da xenofobia, como se manifesta. E mais sei que o fascismo é um germe que está incubado no primeiro mundo. A cada momento ele pode aparecer. E a todo instante se revela, com a ameaça de assolar mais uma vez o mundo tal qual uma praga. O SVP, o Schweiz Volkspartei, é autor de cartazes onde três ovelhas brancas expulsam a pontapés uma ovelha negra. Nada mais explícito sobre o racismo que grassa naquela terra. E por mais contraditório, país formado por uma suruba de etnias: Celtas, entre eles os Helvéticos, submetidos ao império romano, depois invadidos pelos germânicos com Bargúndios, Alamanos e Lombardos, e pelos Francos, de Carlos Magno. Tudo isso para fazerem queijos, chocolates e tomar conta do dinheiro fajuto do planeta.

Não é só na Suíça. Nos EUA, formado por emigrantes há não muito tempo, a xenofobia se manifesta forte, inclusive contra brasileiros, aqui já mostrada em um vídeo. Continuo acreditando que é a História que tem como explicar o fenômeno. E o triste caso da brasileira Paula que explique a polícia, não a psicologia.

8 comentários:

Romanzeira disse...

RApaz, o pior foi o constrangimento que a moça passou, com a polícia colocando em dúvida as declarações dela. A vitima passa a ser rel?! E só é posta em dúvida porque é estrangeira. É um absurdo!
Concordo contigo, o virus do fascismo está encubado na Europa.

Anônimo disse...

AO MINO CARTA FACISTA,
SUA BRONCA COM SR. BATTISTI ESTÁ EXPLICADO,AGORA APOSENTADO RETORNAR PARA VELHA BOTA E DESTILA SEU ÓDIO CONTRA O POVÃO TOMANDO SEU VINHO DE SANGUE.
PS.O WALTER COM SUAS TEORIAS FURADAS. ESPERO QUE AGORA ESTE SENHOR E A MÍDIA TRAIDORA METE O PAU NESTES DEPUTADO CARCAMANO FACISTA E COVARDE. NÓS BRASILEIROS PATRIOTAS DAREMOS O DEVIDO CORRETIVO NESTE DEPUTADO ITALIANO PILANTRA AO PISAR NESTE SOLO SAGRADO CHAMADO BRASILLLLLL.

Carlos disse...

suruba de etnias!
essa definição da suíça foi um achado.
quase me lasquei de rir.

de resto, só faltou dizer que eles, pra passar o tédio, se dedicam a mexer em mecanismos de relógio durante o inverno. que saco!

valeu.
abçs

Anônimo disse...

Isto é síntese, Jurandir. Muito, muito boa sua visão da xenofobia!!!
Parabenizo-o.
Branca.

Kelly Christynna disse...

O que o jornal O Globo, a Rede Globo e o rei das trapalhadas Noblat têm que fazer é assumir a barriga da barriga!

Carlos Cassaro disse...

Esse preconceito contra estrangeiros sempre existiu, em vários países do mundo.
Entretanto, os brasileiros que viajavam ao exterior nunca eram assistidos pelos consulados e embaixadas, e sofriam barbaridades.
Agora parece que o governo Lula mandou tomar providências para que o brasileiro seja mais respeitado.

Tocando em Frente disse...

É meu rapaz a polícia fez a parte dela, explicou o caso. E vc vai explicar a sensível xenofobia que te acomete.

Gustavo disse...

Agora complicou..ninguém mais fala no assunto... E o pedido de desculpas, não vai ter?