sexta-feira, 28 de novembro de 2008

PHA, Dirceu e uma séria acusação

Um comentário do Conversa Afiada me deixou aborrecido. Vamos a ele:

Tais Morais: Zé Dirceu era agente duplo?

27/novembro/2008 19:29

Diário de um ex-agente sustenta que Dirceu teria delatado companheiros de luta armada

José Dirceu, o poderoso ex-ministro da Casa Civil de Lula, teria sido um agente duplo durante a ditadura militar? A questão acaba de ser colocada em pauta pelo livro “Sem vestígios: revelações de um agente secreto da ditadura militar”, da jornalista Tais Morais, publicado pela Geração Editorial. A autora já havia publicado, pela mesma editora, em 2005, “Operação Araguaia”, em co-autoria com o também jornalista Eumano Silva.

Em reportagem publicada hoje no Valor Econômico, Maria Inês Nassif revela detalhes sobre a origem da obra recém-lançada, produzida a partir do diário de um ex-agente do Centro de Informações do Exército, identificado como “Carioca”. Os originais do diário foram entregues à autora do livro após a morte do ex-agente, conforme instruções deixadas por ele próprio.

“Sem vestígios..” narra execuções bárbaras, como a de David Capistrano da Costa, dirigente do Partido Comunista Brasileiro, em um aparelho da repressão em Petrópolis (RJ). Expõe a afirmação de que Dirceu teria sido um agente duplo, responsável pelo desmantelamento do Molipo - Movimento de Libertação Popular (afirma também que dos 28 integrantes desse grupo, que fizeram curso de guerrilha em Cuba, apenas Dirceu e Ana Corbisier sobreviveram).

Diz o livro: “Segundo as notas de Carioca, depoimentos de alguns militares e as memórias do coronel Lício [Augusto Maciel] – naqueles idos, major – Daniel [codinome de José Dirceu] teria sido o agente duplo e, antes de morrer, Jeová [de Assis Gomes, militante do grupo armado] informara esse nome como o de quem havia traído o Molipo”. Ouvido pelo Valor, Dirceu diz que a afirmação contra ele é uma “infâmia” do coronel Lício, que teria “se especializado em difamar tanto a memória dos mortos como os que sobreviveram”. Veja a íntegra da reportagem, se você for assinante do Valor.


Fiz lá o meu comentário, em 28/11/2008, às 1:44:

Impossível dar crédito ao diário de um ex-torturador e narrado por uma autora que teve seu outro livro, sobre a Guerrilha do Araguaia, sofrido críticas por quem lá esteve. Luzia Reis Ribeiro foi guerrilheira no Araguaia e contesta o que os autores do livro Operação Araguaia, Eumano Silva e Tais Moraes, contam. Segundo ela, o livro se baseia fundamentalmente na versão oficial dos militares, em depoimentos arrancados sob tortura. Diz inclusive sobre a parcialidade do livro:

“Na verdade, cheguei à conclusão que os autores mostraram uma versão unilateral. A versão de um grupo de militares que querem apresentar à opinião pública, o PCdoB como o fracassado, o grande vilão da história. Querem também, inacreditavelmente, através dos “depoimentos em cartório”, manipulados pelos militares, responsabilizar os sobreviventes, como delatores, sob a desculpa de serem ideologicamente fracos.”

Portanto, usar um mero depoimento de militar ligado a tortura como evidência de “traição” parece apenas um jogo de cena para continuar a demonização de José Dirceu.

Sugiro a leitura do depoimento de Luzia em:


http://www.diariosdaditadura.com.br/tcc_mat_ver.asp?cod_col=81

Comentário adicional:

Ainda não vi resposta de Dirceu a mais nova acusação, mas achei interessante a quantidade de comentários de leitores do Conversa Afiada que protestaram contra esta aleivosia . Ainda me recuso a colocar Paulo Henrique Amorim do outro lado, mas está na hora de ampliarmos a discussão política para sairmos desse jogo que só benefecia os reacionários.

5 comentários:

Briguilino do Blog disse...

Cada vez mais acredito que o pig demoniza o José Dirceu exatamente pela sua defesa intrasigente a favor do Brasil. Basta ver as colocações que ele fez sobre a inresposabilidade do Tasso sobre a petrobras. A elite sabe que com ele seria muito diferente o tratamento dispensado aos agiotas nacionais e internacionais.

hermesmilani disse...

A chamada "grande mídia" tomou, verdadeiramente, o caminho de uma oposição fanática e injusta ao Governo do Presidente Lula. Por que as Centrais Sindicais não têm uma emissora de TV do trabalhador, para o trabalhador, dividindo a programação entre elas, de forma democrática, a fim de informar o povo brasileiro sem a manipulação da mídia tucana, em parte subvencionada pelo Daniel Dantas, bushista, dona de jornalistas de aluguel e mera repetidora do pensamento único emburrecedor da direita neofascista.

DANIEL PEARL disse...

Tenho a satisfação de convidá-lo a apoiar e divulgar o blog DILMA 13 – PRESIDENTE, que vem tendo grande repercussão na Mídia Brasileira, com destaque na Revista ISTOÉ, Jornal Estado de São Paulo(seção de política dia 28/11/08), site Veja Online, Jornalista Cláudio Humberto e centenas de sites. Nosso objetivo é mostrar para Sociedade Brasileira, a verdadeira Ministra Dilma Rousseff, mulher de garra, organizada, destemida, carinhosa e ótima mãe e esposa, além de ser extremamente eficiente em seu trabalho. Ministra da Casa Civil, hoje é o braço direito do presidente Lula, tornando a “mãe” do Programa Aceleração do Crescimento. Tem muito mais. Contamos com seu apoio. Convite seus familiares, parentes e amigos, para juntos eleger a primeira MULHER PRESIDENTE, será um fato histórico, depois que o Brasil elegeu um operário presidente. Os Estados Unidos derrotaram o RACISMO e elegeram um NEGRO presidente (BARACK OBAMA), queremos vencer o PRECONCEITO, elegendo a DILMA ROUSSEFF – presidente. Um abraço, Daniel Pearl – editor geral. Endereço do blog:
http://dilma13.blogspot.com

Visite também: http://desabafopais.blogspot.com

Júlio Pegna disse...

Me soa estranho esse livro que menciona ZD, nesta altura do campeonato em que se está discutindo indenizações a vítimas da ditadura, a anistia ... pros milicos, a lógica é desmoralizar os chamados "terroristas", e nada mais canalha que ser espião duplo!

Escolheram ZD.
Vou atrás de mais detalhes sobre a jornalista, e esperar um pronunciamento do Zé.

Isso é grave!
_____________
http://sandaliasdopirata.blogspot.com

Jurandir Paulo disse...

A melhor definição de ZD foi feita a mim por um amigo, que não devo aqui nomear, já que guarda ainda vícios da época de clandestinidade, que me relatou a dificuldade que era no movimento estudantil disputar eleições do outro lado. ZD era terrível como adversário. Mas, ao mesmo tempo, este amigo o definia como um companheiro extremamente leal. Quando no governo, passou a conhecer detalhes das idiossincrasias de cada parlamentar, de cada força, e agia de forma cirúrgica, na veia. Isso o tornou o cara mais odiado pelos inimigos do governo. Independente de qualquer julgamento prévio, seu processo de demonização, com a parceria da mídia, é um dos atos mais perversos de toda a história da república.

Julio, este é o ponto mais esclarecedor. Os milicos estão nervosos. Sabem que algumas de suas cabeças correm perigo neste momento. Uma das suas práticas mais conhecidas é a de desqualificar a guerrilha. Fizeram isso de forma vexaminosa com o Genoino.