terça-feira, 4 de novembro de 2008

A entrevista de José Dirceu

Achei louvável a Carta Capital ter entrevistado José Dirceu em sua última edição. Depois de Mino Carta e Dirceu terem publicamente divergido por episódio sobre um encontro, suas interpretações, negações, em quantos toques foi combinada uma resposta, depois mudada etc, fazer uma entrevista onde todas as mesmas e severas acusações são feitas, permitindo sua defesa, é digno do melhor jornalismo. E o resultado é concreto, muito além das limitadas análises sobre se entre entrevistadores e entrevistado houve vencedores. O que fica evidente na entrevista, muito além das especulações sobre culpabilidade, é a enorme capacitação política de José Dirceu, sua notória expertise em negociação, que agora se volta apenas para o mundo dos negócios, onde é acusado de ter relações com Daniel Dantas, o que nega. Que valor é esse que julga um dos melhores quadros políticos brasileiros, que amarga uma das mais venais perseguições políticas? Que está inelegível por decisão de comissão do Congresso, acusado sem provas por parlamentar que também foi condenado. Que teve sua vida devassada pela justiça. Exposto à execração pública pela mídia, partidária e atuante ao lado dos setores mais atrasados do país. O resultado é vergonhoso. Aqui, mostrei um vídeo onde José Dirceu é hostilizado ao votar nas últimas eleições municipais. Contraditoriamente, Paulo Maluf, condenado pela justiça, réu em mais de uma centena de processos, candidato a prefeito, votava sem constrangimentos. É crime tal uso da mídia. E maior incômodo reside no fato de vermos setores da própria esquerda chafurdarem no mesmo conto do vigário. Ingenuidade? Até há. Mas, infelizmente, maldade também. Uma pergunta e resposta são esclarecedoras:

Carta Capital – Muitos petistas não gostam do senhor e dizem o oposto do que o senhor diz aqui agora. O senhor sabe, não?

José Dirceu – Infelizmente de maneira trágica, durante o caso que ficou conhecido como mensalão, usou-se a crise como instrumento de luta interna do PT. Num momento daquele, quando era preciso defender o partido, tentou-se dentro da legenda destruir algumas lideranças. Respondo pelo que fiz. Mas daí a quase se aliar aos algozes que nos acusavam para tentar alcançar a direção do partido foi muita hipocrisia.

2 comentários:

Briguilino do Blog disse...

Jurandir, quando começou a divergência entre o Mino e Zé Dirceu comentei nos blogs deles e sugere que fosse feita uma entrevista (parece que ouviram rsss). O Mino até respondeu o meu comentário. Concordo que jornalismo deve ser feito assim (ouvindo a outra versão), e nós leitores que julgue.
Este caso serviu para eu encontrar a resposta do por que Dirceu caiu? Tái minha conclussão http://blogdobriguilino.blogspot.com/2008/11/porque-derrubaram-z-dirceu.html

Jurandir Paulo disse...

Perfeito, Briguilino. Há muitas versões, a mídia inssite apenas em uma. Vou comentar no seu blog.