terça-feira, 7 de julho de 2009

Ah, meu domingão

Passei o domingo grudado na TV. Nada diferente de muitos outros que escolhiam a sua programação favorita. Havia os que se deliciavam com a dança de qualquer coisa do Faustão. Ou as diversificadas reportagens do Fantástico, todas revelando os mais precisos detalhes da vida e da morte de Michael Jackson. Ou as lutas de full contact, como gosta meu vizinho marombeiro. Ou toda essa conhecida diversa e fundamental programação repleta de “lições”, drama, suspense e circo.

Minha escolha foi sintonizar o computador na TeleSur. Fiquei horas absorvido em ver o drama de um povo desarmado enfrentando o golpe de suas oligarquias. Em um momento tudo parecia encaminhar para um confronto. A multidão foi parada por centenas de policiais armados que impediam que prosseguissem para o aeroporto. O cerco foi relaxado, sugeria que os golpistas haviam desistido. Notícias chegavam pelas poucas agências que cobriam o acontecimento, e repercutiam no meu Twitter por aqueles que estavam mais próximos. Davam a entender que o golpe estava acabando, fazia sentido com o que cedo já se sabia sobre a retirada de apoio ao golpe de importantes setores empresariais de Honduras. Informação que levou a valorosa repórter Lidieth Diaz, da Rádio Globo de Honduras, em entrevista coletiva pedir a confirmação diretamente a Roberto Micheletti, empossado pela suprema corte do país como presidente. Informação transmitida em meia tela pela TeleSur, junto à manifestação. Fundamental detalhe: ela usou a palavra golpe em sua pergunta. A resposta, não foi sim e nem não, mas algo vago, tipo não importa quem nos apóie, “estamos fazendo o melhor por Honduras, onde você pertence”. Temo por ela agora. E seguiu a retirada das tropas, cercando a pista do aeroporto. O presidente Manuel Zelaya dava entrevista ao vivo para a emissora do avião. Corri para ver outras imagens na TV a cabo. A CNN noticiava um campeonato de golfe. A Globonews reproduzia um Globo Rural. E o avião chegava. No meio da fala do presidente, a repórter pede para interromper com notícias do aeroporto. Policiais jogavam bombas de gás lacrimogêneo na multidão que se aproximava da pista. Tiros foram ouvidos. Notícias de feridos e mortos. Os repórteres da Telesur correm como doidos ao local onde há conflitos, esbaforidos ao celular. A CNN passa a transmitir com repórter distante do local, não fala em mortos, a imagem é da TeleSur. A Globonews mostra a reprise de uma entrevista com um economista. O avião se aproxima. Tensão, o exército coloca caminhões na pista. Ouvimos Zelaya e o piloto do avião venezuelano falar sobre a dificuldade de pouso. O avião segue para Manágua.

Talvez o domingão do Faustão tenha sido mais emocionante para quem viu, mas o meu não perdeu. Sei que não interessa à nossa mídia um assunto deste tipo, onde está em jogo uma lição ao vivo de História para nossos jovens. Onde há o drama de um povo, o suspense na luta de classes ao vivo. Onde há exemplos de coragem de tantos.

Foi um domingo inesquecível. Ainda estou me recuperando. Meu vizinho marombeiro talvez tenha perdido.

9 comentários:

Patrick disse...

Concordo 100% E olha que eu não vi o vídeo, mas senti essa mesma emoção só de ler a narração dessas imagens pelo Eduardo Guimarães no twitter.

Romanzeira disse...

Pois é, quando li sobre o ocorrido, na segunda feira, fiquei meio pasma. Nenhuma emissora interrompeu sua programação para mostrar o que estava acontecendo ao vivo em Honduras. Duas pessoas morreram - uma jovem de 19, e um menino de 13, segundo o jornal.
Por outro lado, não admira tanto. O jornal O Globo faz o que pode para jogar a culpa da ocorrência de um golpe de estado nas costas de Zelaya. Quando não no próprio texto das reportagens, através da publicação das "Cartas dos leitores". O editor parece escolher aquelas que unem criticas a Zelay e críticas a Lula.

Yvy disse...

Não vejo TV aberta,são cansativas. E hoje os golpistas e Zelaya combinaram um papinho. acertar arestas. E povo? O habitual que "sifu".

Abrs!

Anônimo disse...

O novo governo de Honduras cometeu um grande erro ao não permitir o pouso do avião do Chavez trazendo Manuel Zelaya. Deveriam ter permitido o desembarque do golpista Zelaya e te-lo prendido assim que traspusesse a porta do avião.

Jurandir Paulo disse...

Meu caro anônimo, bastam poucos neurônios para ler a constituição hondurenha e entender que Zelaya não desrespeitou nenhum artigo. Mas, os canalhas golpistas a rasgaram. Já mostrei aí abaixo. E como fica a sua lógica para explicar o motivo de não terem prendido Zelaya e o processado, dentro das regras constituicionais, incluindo o direto de defesa, que é claro no artigo 82 da constituição de Honduras? Papo furado de uma direita hipócrita, que imagina fazer discurso apenas para imbecis.

infinitoaldoluiz disse...

Este comentário fiz no "Esquerdopata", mas acho que cabe aqui também, pois os remoa são muitos nesta mesma galé.
“A combinação das expedições militares dos governos do mundo em 1987 era tão grande que todo o programa social de todos as nações do mundo poderiam ser financiados por 300 anos."
Michael Tsarion
Gigo eu: Aqueles que detêm e controlam o fluxo do dinheiro interferem no fluxo de energia vital. Interferem na vida. Eles sabem que a abundância do Universo é inesgotável. Cônscios desta afirmação os banqueiros do mundo sabem que abrindo ou fechando a torneira do dinheiro podem, interferindo no fluxo vital, tentar dominar o mundo ao seu gosto submetendo-o às zonas de escassez ou abundancia.
Mas, para que isso aconteça é importante que as massas não saibam que isso acontece e está acontecendo, e, só é possível enquanto e porque elas não sabem disso. A "faustosa mídiaexteminadora" lhes pertence...
É mais fácil culpar o Lula do que assumir 100% de responsabilidade sobre nossa soberba ignorância em cumplicidade com A NOVA ORDEM MUNDIAL NAZIFASCISTA; o que há de pior em nossa humanidade. Somos todos um. A humanidade está numa prisão e há os que adoram o emprego da carceragem, lhes parece inocentar principalmente da culpa pelo próprio fracasso e o de todos.

Anônimo disse...

Meu caro Jurandir Paulo, um dos grandes 'defeitos' da esquerda jurássica é justamente ler e não entender, ou melhor, ler e interpretar à sua maneira. A esquerda doentia não compreende que a Constituição DEVE ser obedecida e que as leis e determinações judiciais DEVEM ser cumpridas. Honduras não se curvou e rechaçou o golpe apoiado pelo gorila Chavéz.

Jurandir Paulo disse...

Caro Anônimo, parece que não é a esquerda que tem dificuldade com a leitura, já publiquei aqui link para a constituição hondurenha, pena que você não tenha lido, ou entendido. Quem devia ter obedecido a ela são exatamente os golpistas, em vários artigos eles a desobedeceram. Onde Chávez é um gorila? Está no poder por decisão de várias eleições ganhas de forma democrática. E não estaria se fosse a vontade dos gorilas venezuelanos, que já fracassaram com um golpe, contra as leis, a democracia e toda a vontade do povo, que reconduziram seu presidente ao poder. Quem são os gorilas?

Anônimo disse...

Póngale un traductor a este blog que no entiendo un culo carajo !!!