quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Os ticos e os tecos da mídia


A Folha de S.Paulo pode em editorial pedir o fechamento da TV Brasil, o restante da mídia silencia ou aplaude. Os golpistas de Honduras podem fechar a Rádio Globo, uma das poucas vozes resistentes à quartelada, nossa mídia não se manifesta. Mas, bastou Chávez fazer cumprir a lei vigente em seu país para o céu cair sobre sua cabeça. Lembro: em 2004 o Congresso Venezuelano votou e aprovou a Lei de Responsabilidade Social em Rádio e Televisão. Foi duramente atacado pelas oligarquias e seus negócios comunicativos. É lei. Ela faz valer o interesse social sobre o que pertence ao estado e seu povo. É o fim da liberdade de expressão, como diz a SIP (Sociedade Interamericana de Imprensa)? Perguntem quantas manifestações a SIP fez sobre o amordaçamento da mídia hondurenha? Nenhuma. O que falaram do assassinato de Gabriel Fino Noriega, jornalista da Rádio Estelar? Rigorosamente nada. Mas a entidade é hoje lembrada pelo jornal O Globo, que aproveita para fazer intriga sobre o nosso governo, com a sensacionalista manchete: “Cerco à mídia na Venezuela é condenado, menos no Brasil”. Motivo? A declaração do assessor da presidência, Marco Aurélio Garcia, que esteve nos últimos dias na Venezuela. Diz ele, perguntado se Chávez acabou com a liberdade de expressão: “Se acabou, deve ter sido depois que eu saí.”

Essa é a mídia que cobre a visita do general americano Jim Jones burocraticamente, sem perguntas que juntem o tico com o teco. Diz o Estadão:

Brasília - O marco regulatório para a exploração de petróleo na camada do pré-sal será o principal alvo da atenção do general Jim Jones, assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, que inicia hoje visita oficial ao Brasil. Jones se mostra especialmente interessado em dimensionar a possível participação de companhias americanas nesse projeto. Em conversa, hoje, com o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, e com o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, Jones também pretende comparar dados divulgados pela imprensa sobre as reservas de petróleo do pré-sal com as estatísticas oficiais.

Como assim? O que faz um general de país estrangeiro se preocupar com o nosso petróleo? Que acordo é esse que coloca bases da maior nação militar do planeta ao lado da Amazônia, fonte permanente de cobiça mundial? Como assim combater as drogas na Colômbia, se o acordo é feito com um notório narcotraficante?

Nada. Essa é a mídia das nossas elites, baba-ovos de soldadinhos com bandeiras de listras e estrelas, que tenta um golpe por aqui, mas ainda sem sucesso. Agora imagine a do Chávez que já provou o gosto de um, falsificando informação para os golpistas?

Crédito da foto: France Press

4 comentários:

infinitoaldoluiz disse...

"O TIGRE FAMINTO SAI DETRÁS DO BAMBUZAL MIDIÁTICO e o círculo de giz transforma-se numa serpente de arame farpado... A tormenta se aproximam rapidamente..."

Sinto muito, sou grato!

E* Ma* disse...

Seu blog foi presenteado com o selo "ESTE BLOG ACERTA EM CHEIO",
parabéns,se desejar, passe por lá para pegar.

http://ema-ranhados.blogspot.com/2009/08/midiafire-um-selo-de-presente.html

(ou)

http://midiafire.blogspot.com/2009/08/um-selo-de-presente.html

E*Ma*

E* Ma* disse...

Seu blog foi presenteado com o selo "ESTE BLOG ACERTA EM CHEIO",
parabéns,se desejar, passe por lá para pegar.

http://ema-ranhados.blogspot.com/2009/08/midiafire-um-selo-de-presente.html

(ou)

http://midiafire.blogspot.com/2009/08/um-selo-de-presente.html

E*Ma*

Adriano Matos disse...

Verdade, Jurandir, só não liga os pontos quem não quer: General americano assessor de segurança nacional interessado em questões energéticas ALHEIAS!!!

Nossa mídia quer repetir FHC quando disse sobre a privatização da Telebrás: Se fosse prá colocar dinheiro prá alguém levar, ainda achava um bom negócio.