sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Enquanto isso, no nordeste...



Recebi esta mensagem ontem por email. É notícia, um verdadeiro “eu repórter” de uma militante do MST, mas não foi divulgada aqui. Leiam e façam uma reflexão:

Como já é de conhecimento de todos/as o MST Maranhão ocupou no dia 26 de julho de 2009, a fazenda Por do Sol do Juiz Escravocrata Marcelo Testa Baldochi, Município, Bom Jardim Maranhão. No dia 01 de agosto, as famílias foram despejadas, a liminar estava com prazo de 15 dias para contestação e mesmo assim o despejo foi efetuado na hora. A área ocupada: tem processo por ter sido encontrado trabalho escravo e também por ter fornos de carvão que funcionavam ilegalmente. A fazenda fica em frente ao Assentamento Terra livre, organizado pelo MST, o que possibilitou as famílias se reorganizarem e realizar uma segunda ocupação no dia 04 de agosto de 2009.

Hoje dia 05 de agosto de 2009, as 11:00 da manhã as famílias foram novamente despejadas, sendo esta, uma ação realizada de forma violenta com a participação direta do próprio Juiz. Segundo depoimento tanto das famílias acampadas como das famílias assentadas houve agressão física e verbal por parte da policia na ação de despejo e também com as famílias do assentamento por terem dado apoio e proteção aos acampados. Dois companheiros: Cícero Martins dos Santos e Valmir Soares da Silva foram presos e fisicamente agredidos. Neste Momento as 21:30 do dia 05, a policia retornou ao assentamento Terra Livre, onde as famílias se encontram acampadas e alem de amedrontar a comunidade assentada e os acampados, estão perseguindo incansavelmente alguns companheiros e companheiras que estão identificados por eles como lideres e permanecem na área sem ter como sair. Estes, mesmo estando sendo protegidos pelos assentados, temem por sua segurança e pelas suas próprias vidas. No acampamento se encontram trabalhadores que já foram vitimas do trabalho escravo, ato praticado pelo Juiz Marcelo Testa, nessa mesma fazenda.

Necessitamos urgentemente tornar esta, uma ação pública, articular apoio aos trabalhadores e trabalhadoras que estão em luta pelos seus direitos e defender as vidas dos companheiros e companheiros que estão a mercê da injustiça da Justiça.

Divina - MST-MA


O assunto foi notícia na invasão do dia 26 de julho, o Globo registrou. O juiz Marcelo Testa Baldochi é já bem conhecido da justiça. Em outubro de 2008 descumpriu ordens do TSE sobre a inclusão de três nomes de candidatos camponeses nas urnas eletrônicas. As denúncias sobre a utilização de trabalho escravo em suas terras são abundantes, basta uma pesquisa simples por seu nome no Google.

Enquanto os holofotes da mídia estão voltados para as fanfarronices em Brasília, no Nordeste, de fato, o Brasil real.

4 comentários:

Adriano Matos disse...

Jurandir,

O link postado nesse comentário mostra a inclusão e posterior exclusão da fazenda Pôr-do-Sol e de seu proprietário da lista suja do trabalho escravo. Infelizmente não constam os detalhes, provas e links para ações do MP.

Fica parecendo que houve engano ou que o crime prescreveu!!!

Pode-se ver no entanto que esse é um trabalho sério pois conta com o apoio da OIT e Petrobrás, entre outros.

http://www.reporterbrasil.com.br/pacto/listasuja/datails/471

Jurandir Paulo disse...

Adriano, é fato curioso. E você e outros irão concordar que o juiz é pessoa muito controvertida, personagem obrigatório de páginas na imprensa se ela fosse de fato livre. Vou depois pesquisar mais.

pensamentobarbudo disse...

Boa noite, como vai?

Como sempre esse blog é contundente e assombroso por suas noticias "extra-oficiais".

Terror, é o que me parece mais adequado para descrever o tratamento e o ambiente relatado: terror perpetrado por aquele que deveria zelar pela "lei, justiça e ordem" no brasil. Mas já diria Bnegão: Ordem para o povo, progresso para o burguesia.

Existe alguma forma de entrar me maior contato com relatos diretos como esse? Existe alguma forma de ampliara propagação de noticias como essa?

E uma outra dúvida, essa pode soar até ingênua, mas em que momento se passou a criminalizar a atacar tão diretamente os movimentos sociais como um todo no Brasil? é ainda um resquício da ditadura, um resquício de um estado de "otoridades"? Ou é algo posterior? algo mais ligado a nova "Democracia" brasileira?


Obrigado desde já, e espero que o blog se mantenha assim, apesar dos pesares.

Bruno Garcia / bdebigode

Adriano Matos disse...

Mais notícias do caso do juiz suspeito de bandido:

Juiz escravagista é acusado de comandar despejo violento

http://www.reporterbrasil.com.br/exibe.php?id=1630