terça-feira, 2 de novembro de 2010

A culpa é da geladeira


O chororô dos derrotados com a eleição da primeira mulher presidente é diverso, não está restrito aos partidos da oposição de direita e seus aliados, neste amplo leque que juntou conservadores de variados naipes aos integralistas e até monarquistas. Setores identificados com a esquerda também lamentam, e apontam culpados: a ignorância das massas populares. Vejam esta pérola do pensamento do esquerdismo mais tradiconal ao justificar seu desencanto:

Parodiando Herbert Marcuse, poderíamos afirmar que a massa do povo, incluindo-se, é claro, a tão falada massa proletária, se encanta com pequenos ganhos obtidos no seu dia-a-dia, sejam esses ganhos fruto de sua luta ou obtidos como dádiva "generosa" dos senhores do poder.
 
Um diminuto espaço para morar, uma geladeira, um freezer, uma TV LCD e (suprema felicidade!) um automóvel são elementos suficientes para levar as camadas populares ao conformismo e à fácil cooptação política pela classe ora dominante.
 
Tal comportamento das massas populares não é próprio apenas do Brasil, e sim de todos os recantos do mundo. Aqui, tivemos o exemplo patente do populismo lulo-petista, oferecendo ao capitalismo a paz social para que pudesse usufruir grandes lucros sem nenhuma ameaça.


Está dito claramente pelo autor que as massas populares só podem pensar corretamente, fazer melhores escolhas, se não tiverem uma geladeira, uma casa para morar. Se, tranformando-se portanto em lumpesinato, seriam mais revolucionárias. Coitado do Marx. É o “quanto pior melhor”, do velho esquerdismo pequeno burguês, bem conhecido de Lênin que o combateu, dedicando ao tema um livro para as futuras gerações, que parecem não o leram, ou entenderam corretamente.

Chega a ser perverso o pensamento, incluindo um forte preconceito, moldado em um erro crasso de análise: Dilma teve votos generalizados em várias classes sociais. O final do texto é um exemplo de arrogância:

Diante desses fatos, resta-nos a nós, socialistas revolucionários, a tarefa de despertar as massas populares de sua inocência, e nunca acalentar suas fantasias, como tem feito o PT, o PCdoB e o PSB, que funcionam como o braço esquerdo do sistema.

Para o messianismo de Gilvan Rocha, militante do PSOL, desejoso de ser o senhor dos desígnios de amplas massas, primeiro seria conveniente um bom investimento em seu próprio quintal. Seu partido tem dezenas de tendências internas, cada uma com visão própria do que seria o socialismo. Façam sua lição de casa em chegar a uma conclusão do que pretendem. E guardem seus preconceitos de classe no mesmo lugar onde fica seu reformismo, que imagina mudar o país apenas no voto.

O povo merece geladeiras, como saúde, como educação. É assim, também, que as grandes mudanças acontecerão um dia, mesmo que tentem atrapalhar as velhas, mofadas e preconceituosas tendências do esquerdismo pequeno-burguês.

8 comentários:

Anônimo disse...

Devemos indircar-lhe um shopping onde ele possa adquirir novissimos ideais revolucionários?

Falando sério, é mesma desumanidade da direita: "que todo mundo se arrebente desde que meus sonhos de consumo sejam satisfeitos".

Luiz
(Vou clicar anônimo nas alternativas abaixo porque é a única que me permite enviar o comentário.)

neocangaceiro disse...

gilvan rocha, empresário que militou no PT, foi expulso dele qdo recebeu dinheiro dos coronéis.

Jurandir Paulo disse...

Neogangaceiro, e eu nem sabia disso. Quer dizer que pra Coronel, tudo, mas pra pobre comprar geladeira, nada. Que gente.

Nathalie disse...

É... os vislumbres que já foram de extrema lucidez, cegaram. Cegaram, porque esqueceram o fim último das coisas últimas. É o homem, n é?

Reg disse...

Cada vez que eles falam, mais perdem votos.
Como pode um partido permitir que o parlapatão do Plínio se manifeste com sandices, como ele tem feito nos últimos dias.
Pelas entrevistas dele é de se pensar que o PSOL não é sério.
É um blefe.

Azuir disse...

...parabéns pelo Blog Patrióta e pela coragem na expressão e nos temas, que nos ilustram e nos preparam para a Luta da Vida...

De Verdade, a Luta da VIDA abrange tudo, principalmente, é entre os que são a favor de uma partilha mais humana dos bens tirados da terra e os que defendem a acumulação do Dinheiro que representam esses bens.

no caso do Battisti vemos que querem é vencer o Lula, nosso maior Presidente, Lula que matou a Fome de 500 anos, que pagou a Dívida colossal e criou mais vagas nas Escolas Técnicas e Universidades que todos os Presidentes Juntos, desde Deodoro da Fonseca até FHC.
A Briga é para vencerem o Lula que fez o Brasil ser Respeitado no Mundo e não ser Capacho dos Dominadores que mantém a fome e as Misérias no Mundo.

Battisti é como um Che Guevara, é um italiano que combatia os Fascistas que o Berlusconi hoje é representante.

Quem é a favor das Ditaduras e dos Dominadores Belicosos e Exploradores, os Privatizadores impatriotas, os Juizes que defende o Banqueiro Daniel Dantas, querem manda-lo de volta para o sacrifício.

Igual a Poncio Pilatos querem entregam o Cristo para a Crucificação.

Quem é LULA e é contra as Ditaduras , contra as Privatizações e os sistemas de Exploração e Desigualdade Sociais, tem de ser Contra.

Não vamos sacrificar o novo Che, nem o Giusephe Garibaldi, nem Patrick Lumunba, nem Emiliano Zapata, nem Samora Machel, Nem Zumbi ou Negro Cosme aquele Chefe de Quilombos que fazia Escolas Nas comunidades Quilombolas do Maranhão.

Vamos defender o Patriota Internacional Battisti.
Ele é como Frei Tito, Frei Caneca, Padre Miguelinho, Dom Pedro Casaldálida e Doroty Stang.

Liberdade para Battisti
Honra para o nosso Brasil Livre desde o Presidente LULA.

Deus seja Louvado.
Abração Amigo para todos.

Guilherme (Guirma) disse...

Há muito tempo questionaram a opinião do Lula sobre os desejos de consumo, as vezes, luxuosos do trabalhador. Lula disse que o trabalhador tinha todo o direito de desejar o que bem quizesse (acho que o objeto era "carro muito caro") porque era ele, trabalhador, quem produzia todos os bens da sociedade... Quizeram meter o Lula numa saia justa ideológica e se ferraram... Não é a tôa que esse homem virou presidente da república...

Anônimo disse...

O sujeito foi muito infeliz nas suas palavras, mas, cá prá nós heim, que o povo não sabe o que faz, não sabe mesmo. Só entende e só quer entender de futebol, novelinha e big brother - não nos enganemos, falta muito para um nível razoável de politização.